invernosite animacao-100.jpg

INTRODUÇÃO ÀS TÉCNICAS ARTÍSTICAS DO CINEMA DE ANIMAÇÃO - 15h

com José Araripe Jr.

Análise de criação e produção setoriais técnicas e artísticas do cinema convencional, espelhadas no planejamento e execução de filmes de animação:

1 - Visão e movimento na genesis do cinema.
2 - Rudimentos, invenções e máquinas de sequenciar.
3 - As belas artes aplicadas no teatro.
4 - A contação de histórias: gêneros e técnicas de representação gráfica.
5 - Os teatros óticos, as animações e o desenho animado.
6 - A Direção de Arte no cinema e sucedâneos.
7 - Segmentos técnicos e artísticos nas artes da animação.
8 - Pesquisa, análise e profissionalização na arte da animação.
9 - Criação, experimentação e desenvolvimento de projeto artístico aplicado às narrativas audiovisuais e transmídias.
10 - Quadro a quadro: Expressões sequenciais práticas por aplicativo.

Começa Seg, 30 de agosto de 2021

Datas: 30 de agosto à 03 de setembro de 2021

Horário: 18h - 21h

Local: Plataforma Zoom

Total de 5 sessões

PÚBLICO ALVO - Diretores de arte, animadores, ilustradores, profissionais do audiovisual e/ou interessados no tema.

Investimento: R$ 300,00

Cartão de crédito: opção parcelado em até 3x
*20% de desconto em pagamentos à vista para ex-alunes Tanah.

Dúvidas:

Email: tanahpontoart@gmail.com

WhatsApp: (71) 99192-4363

inverno animacão-100.jpg

Qual o público alvo deste curso?
Em geral, artistas do universo das equipes de Direção de Arte do cinema, os trabalhadores da arte, como chamamos – de maquiadores a cenotécnicos.  Mas também para artistas e cineastas iniciantes que desejem compreender melhor este como animação pode se tornar um campo de ampliação de interesses.


É necessário algum pré-requisito pra participar?
Ter interesse em conhecimento Histórico, técnico e artístico sobre animação e disponibilidade de vivenciar alguma experimentação usando celular, computador ou câmeras.


Podemos dizer que este é um curso para aprender animação?
Não. É apenas uma introdução ao universo de possibilidades técnicas e artísticas que a “modalidade” oferece a artistas visuais em geral.


O significa técnicas artísticas na animação?
O grande conhecimento acumulado por séculos de História da arte desemboca no audiovisual e na animação como um caudaloso rio de múltipla navegabilidade. As dezenas de técnicas das artes plásticas são aplicadas e adaptadas para uso no audiovisual. Há as técnicas óticas, mecânicas e eletrônicas da captura e sequenciamento dos movimentos, e há as técnicas plásticas referentes a materiais, estilos e linguagens, que pode envolver desenho ou não.


O que você traz de experiência do cinema para esse curso de introdução as técnicas de animação?
Por um bom período atuei no cinema publicitário, e por deter esse conhecimento e experiência, atendi a esse nicho como Diretor da animação ao lado dos animadores, ou como técnico em efeitos especiais. No cinema profissional autoral, do coletivo Lumbra Cinematográfica, também sempre exerci esse papel. Atualmente dirijo duas séries de animação para os Stúdio Imagine (Cainã, o morador do mato, e Pé e Cabeça ) do experiente animador Daniel Vasques. Séries em que também atuei como criador e roteirista.
Em E.T.ílico o curta de 2014, selecionado  para o Anima Mundi, pude ao lado do animador 1berto Rodrigues, concretizar o meu projeto didático da Pós graduação, na PUC/RJ de Cinema de Animação. Esse curta é o piloto da série Sexo das Coisas, atualmente em captação.


Da televisão há experiências vivenciadas para aplicar nesta transmissão de conhecimento?
Na atuação por quase 10 anos nas TV púbicas: TVE e TV BRASIL, emissoras abertas, mais favorável ao segmento, foi possível valorizar a animação autoral, não apenas através de editais de produção de curtas e séries, ou de aquisições, mas de desenvolvimento de programação e empacotamento gráfico e estético da identidade visual da emissoras, faixas e programas. Também os dois anos e meio como gestor do Centro Técnico e Audiovisual do MINc me possibilitou acompanhar o segmento de perto, inclusive com a reativação do relacionamento internacional com National Film Board of Canadá, a meca da animação mundial.


Na docência de RTVC, qual o lugar do cinema de animação?
Em audiovisual, começar pelo ensino de animação,  obedece a uma sequencia científica mais lógica, o que torna mais fácil o encontro entre arte e técnica. Por 12 anos atuei como professor universitário de RTVC na UCSAL e as técnicas de animação sempre foram base e plataforma do programa nesta disciplina que prepara comunicólogos e publicitários para o mercado publicitário, e  que gerou um grande contingentes de diretores, não apenas na publicidade, mas autores cinematográficos de destaque.

 


Qual o potencial desse intercâmbio de conhecimento entre cinema, direção de arte e animação?
O cinema e ou o audiovisual é um campo em grande expansão em muitos meios e telas. Como mercado de trabalho pode oferecer melhores oportunidades a quem conheça o leque da direção de arte e da animação, significando efetivamente mais mercado para a realização, a profissionalização e o sustento continuado.


O cinema de living action, mesmo sem parecer, cada vez usa mais animação, como isso funciona?
Muita gente ao desconhecer essas técnicas, reclama dos efeitos especiais no cinema, mas é impossível cinema sem efeito especial, já que o próprio movimento de 24 fotos, é o primeiro dos efeitos especiais do qual o cinema depende, e essa gênesis é a animação.
Sempre, mesmo antes da computação gráfica, o cinema já usava composições gráficas e animações para cenografia ou trucagens. O pai do cinema de espetáculo  George Meliés foi quem criou a base de mascara e contra mascara, que é o que domina as composições entre imagem reais e imagens artificiais no cinema da atualidade, através dos croma Keys e layers de superposição. Isso também já era possível encontrar muitos anos antes nas caixas cênicas dos teatros. Podemos dizer que o teatro é digital há centenas de anos.


Como funciona a Direção ou direção geral, na animação?
Há certa visão de quem só quem dirige cinema de animação, são animadores. Mas cada vez mais diretores  do cinema o fazem, vide: Luis Bolognesi, Sergio Machado, Guilhermo Del Toro, Wes Anderson, Anderson Soares.  No meu caso desde o meu primeiro filme de ficção com atores em 1973 (João Cidade), em super 8, eu usei animação na abertura do titulo em stop motion. Como artista plástico de formação, e pioneiro na assinatura na Direção de arte no Brasil (Vúlvula, 1982), e também no meu ciclo anterior de cinema experimental super 8 (Contos de Farda, Fiat Lux, Retina Gatilhada, Circuluminoso)  já usava animação como técnica inerente ao pensamento, conceito e linguagem audiovisual.

Como funciona o setor Direção de Arte numa animação?
Fazendo um paralelo, há absoluta semelhança, mas com algumas por isso esse curso se propõe a juntar estes dois universos de profissionais, facilitando a introdução ao conhecimento dos setores e técnicas correlatas. Sendo o setor que mais envolve artes plásticas e visuais, a Direção de Arte pode aprender e apreender conhecimentos para também atuar em animações. No sentindo contrário é possível também estreitar essas relações para ampliar as possibilidades de criação e realização no living action.


 

WhatsApp Image 2021-06-25 at 1.16.58 PM.
  • YouTube
  • Grey Instagram Ícone

Sobre José Araripe Jr.

 

O artista multimídia José Araripe Cavalcante Jr. 61, é natural de Ilhéus; Artista plástico formado na Escola de Belas Artes da Ufba, cursou pós graduação de Cinema de Animação na PUC/RJ.

 

Roteirista multimídia com ênfase em audiovisual. Professor em criação e roteirização, direção de arte e desenvolvimento de curtas, longas e séries. Consultor criativo para desenvolvimento de projetos áudio visuais, inclusive projetos de animação e digitais em geral.


Exerceu Gerencia executiva de Conteúdo e Gerencia de projetos especiais jornalísticos da TV Brasil/RJ.  Direção de Conteúdo e programação e Direção Geral da TVE Bahia.

 

Docência de Produção de Rádio TV e Cinema da Universidade Católica do Salvador. Gerencia do Centro Técnico Audiovisual do Ministério da Cultura/RJ. Diretor de criação e arte da agencia de publicidade Retina Multimídia/BA.


Roteirista e diretor de audiovisual, premiado com curtas e longas, com experiência em planejamento e produção para televisão, cinema e publicidade.

 

Trabalhos recentes: as séries documentais: O País da Poesia popular 13 x 30' e Hiper Praia 5 x 26'. Animações: Cainã, Pé e Cabeça séries pra TV e o Curta E.Tílico.